Headless: o guia completo (2022)

Headless_ o guia completo (2022)

Não há dúvidas que o comércio eletrônico segue em alta e tende a ser a principal forma de venda do mercado em um futuro próximo, e o headless é uma tecnologia essencial neste cenário. Tem sido cada vez mais latente a necessidade de criar experiências personalizadas para o cliente, vencer o desafio do fim dos cookies de terceiros e otimizar os custos de aquisição e fidelização de clientes.

Diante disso, preparamos um guia completo com os pontos de atenção necessários à compreensão do headless. Descubra a liberdade de desenvolver e-commerce com essa tecnologia. Confira!

O que é headless?

O headless é uma arquitetura de e-commerce em que o front-end de uma loja é separado do back-end. Essa tecnologia permite que as lojas online tenham mais flexibilidade com personalização, o frontend pode ser atualizado sem tocar no back-end.

Neste termo, “head” refere-se ao front-end. Portanto, “sem cabeça” neste caso significa uma loja de comércio onde o front-end e o back-end são independentes um do outro. Uma configuração headless separa os dois para oferecer mais flexibilidade nas experiências do comprador que você cria. Veja agora em mais detalhes esses dois termos.

Front-end

A vitrine digital voltada para o cliente também é chamada de camada de apresentação. Isso pode ser muito mais do que apenas um site, incluindo canais como mídia social, aplicativos móveis e os bilhões de dispositivos que usamos na Internet das Coisas (IoT). A IoT inclui coisas como espelhos inteligentes, quiosques de autoatendimento, máquinas de venda automática, wearables e tecnologia assistida por voz, como Amazon Alexa.

Back-end

Todos os sistemas, processos e ferramentas são executados em segundo plano para lidar com as operações e garantir que seus negócios funcionem sem problemas. Essa pilha de tecnologia pode ajudar em atividades como:

  • merchandising;
  • atendimento
  • integrações;
  • armazenamento de dados; e
  • checkout.

A separação de front-end e back-end é importante porque as plataformas de comércio tradicionais unem estreitamente esses dois elementos. As marcas podem usar sua imaginação para criar uma experiência incrível para o cliente que reúne todos os tipos de canais e dispositivos, sem limitações. 

Como funciona o headless?

O segredo do comércio sem cabeça é a API, ou interface do programa de aplicativos. Uma API é uma conexão entre o frontend e o backend, enviando informações entre os dois em tempo real.

O conteúdo voltado para o cliente é gerenciado em uma plataforma de back-end, como um CMS. Com as vitrines headless, você pode aproveitar vários sistemas de back-end, dependendo de suas necessidades. Esses sistemas podem incluir seu:

  • Sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS);
  • Aplicativo web progressivo (PWA);
  • Gestão de relacionamento com o cliente (CRM);
  • Plataforma de experiência digital (DXP).

Essas ferramentas adicionais de SaaS (software como serviço) criam pontos de contato para os clientes, como um aplicativo móvel ou uma máquina de venda automática. Sempre que um cliente tem um ponto de contato com sua vitrine, uma chamada de API envia essas informações para seu back-end.

Os clientes não veem nada do seu back-end headless, apenas a interface de usuário frontal que você está usando para oferecer experiências de compras.

Quais são os principais benefícios do headless para o seu site de e-commerce?

Headless é o e-commerce em qualquer lugar. Trata-se de uma tecnologia flexível, capaz de evoluir o comércio eletrônico rapidamente e posicionar o seu negócio onde quer que o comércio e a tecnologia o levem. Um sistema de comércio headless ajuda você a realizar tudo isso de três maneiras principais:

Acelere seu e-commerce

Acelere experimentos e mudanças na modalidade headless. Isso alivia o antigo problema de desenvolvedores que não podem trabalhar em sistemas front-end e back-end ao mesmo tempo.

Com o headless, o trabalho voltado para o cliente pode ser feito de forma independente, sem ter que esperar pelo trabalho de back-end e vice-versa. Isso significa que você pode separar a cópia do código e permitir que cada equipe continue em movimento sem depender da outra para terminar primeiro.

Otimize o controle e dimensionamento

Os sistemas existentes codificados em diferentes idiomas podem impedir integrações críticas, mesmo aquelas que impactam negativamente a experiência do cliente. O Headless automatiza todas essas integrações. 

Com APIs poderosas , o headless permite integrar todos os seus sistemas existentes ( ERP , PIM , IMS , etc.) para construir uma experiência de compra usando a linguagem de programação de sua escolha.

Além de protegê-lo de mudanças na tecnologia, o headless também lhe dá o poder de se mover em seu próprio ritmo e se adaptar tão rapidamente quanto o próprio comércio eletrônico.

Aprimore a personalização

Com headless, o comportamento do cliente é o seu maior foco. Ele fornece aos desenvolvedores flexibilidade adicional em como eles desejam fornecer dados aos clientes, independentemente do dispositivo em que estejam.

O Headless permite que você faça um teste A/B instantaneamente do que você cria para otimizar a experiência do cliente e sua taxa de conversão. Você pode implantar alterações em qualquer vitrine que seus consumidores estejam comprando, passando dados para cada um e personalizando toda a jornada.

Quais são os impactos do headless para os clientes?

Se por um lado a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) protege os usuários de violações, por outro, acaba impondo restrições à personalização da experiência de navegação.

Nesse conflito, o headless pode trabalhar de forma especial equilibrando a situação e coletando de forma inteligente os dados, com o consentimento do usuário, para proporcionar uma navegação mais adequada aos seus interesses de compra. Veja agora as principais vantagens para os clientes que o headless proporciona.

Equilibre privacidade e personalização

Estamos em um mundo onde a privacidade online é a prioridade dos compradores na web. No entanto, a pesquisa apoia o fato de que os consumidores ainda estão abertos a compartilhar dados de clientes em troca de experiências de compra personalizadas . Nove em cada 10 estão dispostos a compartilhar dados comportamentais em troca de uma experiência mais barata e fácil.

Forneça recomendações personalizadas de produtos, salve carrinhos de compras em vários dispositivos e ofereça a opção de pagamento preferida com base no histórico de pedidos de um cliente recorrente.

Proporcione uma experiência omnichannel verdadeira

Nesse cenário de fim dos cookies, LGPD e restrições, a customização da jornada do cliente tem sido cada vez mais difícil para desenvolvedores de sistemas de e-commerce.

Então, Headless e omnichannel são uma combinação perfeita porque as experiências de compra estão disponíveis para consumidores online e offline. O headless pode assumir diversas funções como

  • aplicativo móvel;
  • dispositivo de IoT;
  • relógio inteligente;
  • mecanismo compras por voz;
  • botão Comprar; ou
  • aplicativo da web progressivo. 

O headless transforma qualquer ponto de contato possível com o cliente em uma oportunidade de vendas, enquanto o lado do e-commerce é gerenciado a partir de um único back-end.

Aumente a confiabilidade e a fidelização

No final das contas, todos os clientes querem saber que podem confiar nas empresas com as quais fazem negócios. Embora a fidelidade do cliente possa ser difícil de alcançar (e ainda mais difícil de manter a longo prazo), há uma grande recompensa tanto para as marcas quanto para os clientes.

Quando os clientes confiam em uma marca, há uma sensação de alívio mental quando se trata de garantir que suas necessidades sejam atendidas. Sem mencionar a tranquilidade de saber que não precisarão passar horas perseguindo um pacote, discutindo com o atendimento ao cliente ou lutando contra uma vitrine com falhas ou sem resposta.

Como implementar um e-commerce headless?

Há duas abordagens principais: construir sua própria arquitetura de comércio headless a partir do zero ou alavancar plataformas que já têm arquitetura headless disponível. Descubra os passos principais

1. Determine se você deve manter ou mudar sua plataforma de e-commerce

Para pequenas empresas, adicionar APIs à sua plataforma de e-commerce existente pode ser o melhor caminho. Por outro lado, muitas empresas de médio porte ou grandes empresas optam por mudar para uma solução SaaS (software as a service). Uma plataforma SaaS oferece mais escalabilidade e flexibilidade a longo prazo.

2. Escolha um CMS headless

Se você estiver entregando conteúdo para visitantes em vários canais, um sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS) headless é o caminho a seguir. Dessa forma, você pode usar um único CMS para criar conteúdo específico para cada canal e experiência do usuário. Sua API confiável sincronizará seu front-end e back-end, enviando o conteúdo certo para os pontos de contato certos.

Você pode escolher um CMS de código aberto ou obter um de um provedor de SaaS. Um sistema de código aberto oferece flexibilidade máxima, mas você precisará de mais conhecimento especializado para construí-lo e implantá-lo. O SaaS é uma ótima solução se você deseja começar de forma mais rápida e enxuta.

3. Sincronize seu CMS e APIs

Você pode pensar em sincronizar como “conectar uma cabeça” ao seu CMS headless. Esta é uma etapa crítica do processo — onde a mágica proverbial acontece quando se trata de um sistema suave que integra o front-end e o back-end.

Se você estiver fazendo a transição de uma plataforma de e-commerce tradicional, recomendamos dar pequenos passos em vez de fazer tudo de uma vez. Tente criar e sincronizar APIs com seções menores em seu CMS headless, como uma postagem de blog ou uma página de destino. Teste, otimize e amplie quando estiver confiante no processo.

Qualquer e-commerce pode implementar o headless? 

A resposta curta é não. Se o seu negócio está indo bem o suficiente com uma arquitetura tradicional, pode não valer a pena os recursos financeiros e de tempo para investir no headless. Tudo depende do que você está tentando alcançar — então avalie se o headless é a melhor maneira de chegar lá.

Mas se você deseja criar uma experiência de cliente mais personalizada e exclusiva, juntamente com um desenvolvimento mais flexível, e tem os recursos de desenvolvimento para dar suporte a uma transformação headless, então sem cabeça pode ser o seu caminho. Conheça alguns dos principais motivos de implementação de headless:

  • Já tenho uma infraestrutura estabelecida e nem sempre é fácil agregar outra ferramenta à nossa tecnologia existente;
  • Sinto que estamos nos movendo mais devagar que os concorrentes porque não consigo fazer ajustes de front-end e back-end simultaneamente;
  • Quero que minha experiência de compra seja rápida para todos os compradores e que tenha um controle mais granular sobre os elementos que afetam o desempenho e a velocidade do site;
  • Meu tema ou modelo de vitrine não é tão personalizável quanto eu gostaria;
  • Não tenho um aplicativo móvel nativo para iOS ou Android, ou meu aplicativo de compras móvel não é tão fácil de usar quanto eu gostaria que fosse;
  • Quero construir uma experiência única de comércio eletrônico de vitrine que não é possível com minha plataforma atual (por exemplo, espelhos inteligentes, tecnologia vestível, máquinas de venda automática etc.).

Quais as principais diferenças entre headless e e-commerce tradicional?

Uma arquitetura headless municia os comerciantes com mais ferramentas para alcançar uma base crescente de clientes do que uma plataforma tradicional de comércio eletrônico (também conhecida como plataforma monolítica).

Separação entre backend e frontend

Uma analogia melhor pode ser que o comércio headless corta o casamento entre seu front-end e back-end. Mas nesse divórcio, os dois lados saem vencedores, pois as mudanças em um lado podem ser feitas sem atrapalhar o outro. Isso economiza tempo e permite que você ofereça uma melhor experiência ao cliente em seus diferentes segmentos.

Divorciar o front e o backend também abre a possibilidade de usar o que há de melhor para converter clientes no site. O caso de uso mais comum seria enviar conteúdo para o frontend por meio do CMS existente de uma marca, em vez de sua plataforma de comércio. Dessa forma, você pode alterar o conteúdo no site sem passar pelo back-end de e-commerce. 

Use mais plataformas com o headless

Se sua empresa tem poucos sistemas que precisam ser conectados ao frontend, você pode ser mais bem atendido por uma plataforma de comércio completa .

Com uma solução de comércio sem periféricos, você não precisa usar o mesmo CMS que seu back-end de comércio eletrônico. Você pode publicar atualizações de conteúdo em qualquer uma de suas vitrines usando seu CMS existente – seja WordPress, Contentful ou Squarespace – sem se contentar com uma plataforma de comércio eletrônico menos que ideal.

Pronto, se você não conhecia essa arquitetura, já tem uma excelente base de conhecimento para implementação. O headless revoluciona o e-commerce tradicional como vimos neste artigo e absorve a evolução de transformação digital com melhor potencial que o e-commerce tradicional.

Se surpreendeu com o headless? Tem muito mais conteúdo em nosso blog. Assine nossa newsletter para receber sempre em primeira mão materiais como este!

Escrito por:
Ygor Neves, Tech Lead
at Corebiz