Neurociência aplicada ao e-commerce: 10 princípios para melhorar a experiência do usuário e aumentar as vendas

Neurociencia-aplicada-ao-e-commerce_-10-principios

Com o advento da internet, a nossa forma de consumir tem mudado drasticamente nos últimos anos. E desde a pandemia do coronavírus foi possível enxergar um crescimento exponencial das compras online e acompanhar a mudança de comportamento de um consumidor que tem sido cada vez mais digital.

Com isso, a busca por atender às necessidades desse consumidor cresceu no mesmo ritmo, e recorrer às estratégias certas para garantir uma melhor experiência de compra para os usuários e mais vendas para o e-commerce se tornou urgente. 

Nesse artigo você conhecerá os 10 princípios da neuroestética – um campo que recorre a neurociência para estudar as preferências visuais – para aplicar no e-commerce e otimizar a experiência do usuário e garantir maior rentabilidade. Confira!

Segundo o balanço realizado pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) em parceria com a Neotrust vivenciamos um crescimento de 68% de vendas on-line no Brasil em 2020, além de um faturamento de R$ 126,3 bilhões e mais de 300 milhões de pedidos realizados pelos consumidores no período.

É uma ótima notícia para quem já está inserido neste segmento, porém com o aumento da competitividade, cresceu também a necessidade de utilizar práticas recorrentes e adequadas para gerar o famoso “encantamento do cliente”, convertendo assim visitantes em clientes e garantindo uma maior competitividade no mercado.

Atentas a essa questão, as empresas têm apostado na contratação de especialistas em CRO (Conversion Rate Optimization) para compreender sobre o comportamento de seus usuários e como encantá-lo a ponto de convertê-los em clientes. Este profissional de CRO utiliza técnicas de experimentação para melhorar a capacidade de inovação das empresas e gerar mais conversões com o mesmo número de visitantes no e-commerce.

Dentre tantos pontos de otimização, o que gosto muito de aplicar nas minhas otimizações são hipóteses baseadas em aspectos da neurociência. Mais precisamente no campo da neurociência cognitiva, que foca na capacidade cognitiva (conhecimento) do indivíduo, como o raciocínio, a memória e o aprendizado.

Em seu livro Rápido e Devagar: Duas formas de pensar, Daniel Kanehman explica as duas formas como se desenvolve o pensamento humano: uma é rápida, intuitiva e emocional, já a outra é mais lenta, deliberativa e lógica. 

Com essa forma de pensamento emocional apresentada por Kanehman associado aos princípios de Design Emocional escritos por Donald A Norman, professor emérito de ciência cognitiva que trabalhou por anos como vice-presidente de tecnologia na Apple e criou o conceito de que ao entrarmos em contato com qualquer produto, agregamos sentidos a ele e as suas características de forma inconsciente, é possível buscar técnicas de trabalhar um design voltado a suprir as necessidades a nível de emoções promovidas. E com isso, atuar na identificação de áreas problemáticas, modificando e novamente testando, até que energia e recursos se esgotem. Trazendo assim, um processo que resulte em artigos funcionais, que proporcionem satisfação e prazer estético.

E dessa maneira, atuar para impressionar os visitantes de uma forma profunda a torná-los clientes através de aspectos prazerosos do design, partindo do princípio de que as coisas prazerosas e simples funcionam melhor. É por isso que trabalhar hipóteses que priorizem o design e o copywriting da página, buscando torná-la funcional para seus usuários, pode contribuir com ótimos resultados para seu e-commerce.

Pensando na aplicabilidade de um design que possa realizar a entrega ao sistema 1 do cérebro (emocional), podemos aplicar os princípios da neuroestética criada pelo neurocientista Vilayanur Ramachandran.

Confira as 10 dicas e princípios de neuroestética para aplicar em seu e-commerce

Para que você possa compreender como aplicar na prática os conceitos das neuroestética, confira aqui as 10 dicas e princípios que prometem melhorar a experiência do usuário e consequentemente gerar mais vendas para o seu comércio eletrônico.

1 – Ressalte elementos importantes na fotografia

Os elementos diferenciadores das fotografias, que as tornam mais atraentes, podem ser ressaltados para evocar respostas emocionais mais intensas. Aposte nessa estratégia e valide o resultado.

Exemplo de um banner da campanha de dia das mães da Motorola, onde é destacado o modelo do produto anunciado com imagem ilustra a data comemorativa da campanha

2 – Equilibre os recursos visuais e evite informação em excesso

Se alguma coisa é difícil de reconhecer, evitem que os outros elementos do design o ofusquem ou obscureçam. Seletivamente, use um espaço em branco em torno desses elementos de design mais obscuros para chamar a atenção do elemento principal.

Exemplo de como expor produtos que precisam que os detalhes sejam ressaltados. Neste caso o famoso “menos é mais” faz todo o sentido

3 – Aposte em contraste e sobreposição

Quando quiser atrair a atenção para um elemento de design, sobreponha-o a um fundo ou a outro traço de cor contrastante.

Exemplo de menu em que utiliza bem o contraste entre as cores

4 – Use o contraste a seu favor

Experimente acentuar ligeiramente o contraste de um design ou fotografia para aumentar sua atratividade total.

Exemplo banner em que o contraste destaca o produto (item principal da imagem) e além disso conversa com o restante dos recursos visuais da imagem

5 – Invista em enigmas visuais

Enigmas visuais simples, fáceis de resolver podem ser uma boa maneira de atrair a atenção e engajar os observadores. 

Exemplo banner em que é utilizado uma mesclagem de itens com uma composição que gera a sensação de enigma.

6 – Aposte em alinhamento

Alinhar os elementos no mesmo ângulo pode melhorar a percepção de equilíbrio e harmonia no design.

Exemplo de exposição de produtos alinhados da mesma forma no e-commerce, o que garante maior harmonia para a página e causa a sensação de organização para o usuário

7 – Use imagens e metáforas

Procure maneiras de produzir imagens que atuem como metáforas para transmitir conceitos e emoções.

Exemplo de banner que utiliza a data comemorativa da campanha como parte da metáfora no criativo

8 – Abuse das formas

Crie formas, caixas e arranjos simétricos de imagens em seus designs. Dessa maneira você gera mais movimento e autenticidade visual.

9 – Fuja do óbvio

Cuidado para não explorar regularidades ou simetrias excessivamente óbvias.

10 – Busque harmonia na distribuição

Se um design possui várias linhas no mesmo ângulo, ao adicionar uma nova linha em ângulo diferente certifique-se de que o acréscimo prejudique a harmonia da imagem e não cause estranhamento no usuário.

Neste artigo apresentei 10 dicas de como utilizar a neurociência a favor do e-commerce e garantir uma experiência de ponta para o usuário. Se você gostou do conteúdo, te convido a assinar a nossa newsletter para receber em primeira mão outros temas relevantes e relacionados ao ecossistema de e-commerce que podem te interessar.

Escrito por:
Taciana Serafim, Analista de CRO Sr. | Squad Motorola
at Corebiz

Serviço de otimização de conversão (CRO)