GA4: Uma nova visão sobre eventos e conversões

GA4_-Uma-nova-visão-sobre-eventos-e-conversões

O GA4 é o próximo nível de análise de blogs, sites e e-commerce. A partir dessa atualização, gestores e profissionais da área precisam aprimorar sua visão de gestão online.

Mas quais são os impactos dessas transformações? Como o GA4 lê dados e quais são as principais tendências esperadas após essa atualização? São algumas das principais perguntas que todo gestor deve investigar.

Por isso, preparamos esse artigo focado nas questões essenciais dessa atualização do Universal Analytics para o Google Analytics 4. Entenda agora a importância dessa migração para o seu trabalho. Confira a seguir!

De que maneira os e-commerce são impactados com essa mudança do Google Analytics?

Quem já está ciente sobre o fim dos cookies de terceiros, sabe que é muito importante cada vez mais ter um mindset sem esse recurso. Nesse ponto, o GA4 é menos dependente e entrega mais segurança e compliance.

O uso de Machine Learning é outro ponto fundamental que supera as limitações da versão anterior. A coleta de dados foi aprimorada para abarcar a nova jornada do consumidor, independente do dispositivo utilizado. Outras novidades interessantes abrangem:

  • Enhance Measurement;
  • dados de app e web integrados no dashboard;
  • maior facilidade no rastreamento de domínios; 
  • Analysis hub.

O modelo de dados a partir de eventos é muito mais flexível. Nas novas construções de público para uso no Google Ads, um usuário comum descobrirá a marca por meio de anúncios padrão no celular já na fase inicial da jornada, antes de converter por meio de um anúncio do Google Shopping específico do produto no computador no final daquela semana

O que muda nos relatórios do Universal Analytics para o GA4?

Personalização e análise diferenciada são alguns dos pontos principais de mudança. O GA4 ativa os conjuntos em outras plataformas (principalmente BigQuery).

  • Relatórios integrados/ pré-definidos vs Relatórios personalizados;
  • Integração mais fácil com BigQuery;
  • Mais dados sendo enviados para o Data Studio;
  • Definição de métricas como usuários e sessões;
  • Como as conversões são definidas, agora com mais flexibilidade.

Enquanto a Universal Analytics destaca o total de usuários nos relatórios, o GA4 foca em usuários ativos. Mesmo que o termo pareça o mesmo, o cálculo é diferente.

Em relação à taxa de rejeição, o GA4 mostra a porcentagem de sessões que não foram engajadas, ou seja, o inverso da taxa de engajamento. Essa taxa de rejeição perdeu utilidade após as mudanças nos apps, e o Google Analytics 4 trouxe uma forma mais útil de medir a interação.

Finalmente, em relação à taxa de conversão, não há distinção entre metas e e-commerce, sendo a avaliação feita por meio de eventos que são adicionados à medida que os usuários interagem com o site ou app. É possível sinalizar todo evento que contribui efetivamente para o sucesso do canal, assim, a partir dessa sinalização, o sistema registra na propriedade.

Como o GA4 lê os dados de e-commerce?

Enquanto que a coleta de dados no Universal Analytics é separada em módulos, no GA4, o foco é sempre em eventos. Os eventos de e-commerce continuam basicamente os mesmos, mas podem ser incrementados. Há 3 formas principais de captar:

  • Camada de dados – via GTM, mais usados, dependente de front ou cms;
  • Eventos JS (gtag) – mais flexível e menos dependente do front; e
  • Measurement Protocol – mais complexo, porém muito customizável.

O GA4 tem uma forma muito diferenciada de interpretação de dados. Na captura, os nomes de alguns parâmetros e eventos foram alterados para as novas propriedades. Os parâmetros são incorporados em uma matriz de itens, diferente do esquema com o dataLayer do Universal Analytics, onde era necessário especificar informações adicionais de ação para eventos distintos.

Quais as principais mudanças e melhorias para o e-commerce?

Uma das mudanças mais importantes em relação ao UA, onde não há limite de tempo para retenção de dados na interface de usuários, é que o GA4 restringe o armazenamento de cookies por 14 meses, o que acaba obrigando as empresas a contratarem um serviço de cloud para perder seus dados históricos.

Antes, apenas o GA360 permitia acesso aos funis personalizados, no entanto, a partir do GA4 o acesso é liberado a todos. Com isso, é possível obter insights muito mais poderosos sobre o fluxo dos usuários e onde estão os pontos de compra mais fracos. Com isso, o gestor ganha:

  • em aprimoramento de projetos de UX;
  • otimização do ciclo de compra;
  • criação de listas de remarketing mais inteligentes para campanhas pagas; dentre outras possibilidades.

Também só estava disponível no GA360, o módulo de relatórios de análise, que foi atualizado para ser mais preciso e abranger mais dimensões, sendo disponibilizado gratuitamente para todos que usam o Google Analytics 4. A partir dessa funcionalidade será possível:

  • criar relatórios detalhados sobre comportamento do usuário;
  • detalhamento sobre a jornada do cliente;
  • sobreposição de segmentos;
  • dentre outras possibilidades.

Os recursos de rastreamento foram aprimorados com o objetivo de auxiliar no acompanhamento dos seus eventos de aplicativos para dispositivos móveis na mesma propriedade que seu website.

Um aumento significativo ocorreu em relação ao rastreamento. No Universal Analytics, você está limitado a até 20 dimensões personalizadas por propriedade. Já no GA4, isso aumentou para 50 métricas com escopo de evento e 50 métricas personalizadas por propriedade e 25 dimensões personalizadas com escopo de usuário.

Finalmente, em relação ao CRO, o GA4 complementa seus dados automaticamente, usando o aprendizado de máquina do Google para analisar o conjunto de dados e prever o comportamento futuro dos usuários. Com as métricas preditivas e a coleta de dados estruturados de eventos, você aprende mais sobre os clientes e pode tomar decisões mais completas. Veja como funcionam algumas métricas:

  • Probabilidade de compra: a probabilidade de um usuário que esteve ativo nos últimos 28 dias registrar um evento de conversão específico nos próximos 7 dias;
  • Probabilidade de desligamento do usuário: a probabilidade de um usuário que esteve ativo no seu app ou site nos últimos sete dias não ficar ativo novamente nos próximos sete dias;
  • Receita estimada: a receita esperada de todas as conversões de compra nos próximos 28 dias de um usuário que esteve ativo nos últimos 28 dias.

Quais tendências devem surgir após essas mudanças?

É esperado uma mudança de mindset e de resultados após a migração para o GA4. Todos os impactos e tendências podem ser resumidos essencialmente em:

  • maior preocupação para manter dados em um banco de dados próprio e maior integração com BigQuery;
  • melhor rastreio de comportamento do usuário por meio de eventos e parâmetros mais customizados e mais foco no usuário e menos em sessões e atribuições; e
  • maior dependência de ferramentas de visualização de dados como o Data Studio por conta de eventos e parâmetros mais customizados e ausência de algumas métricas de costume do mercado.

Percebeu como essa atualização será fundamental para o aprimoramento da conversão? Neste artigo, você pôde ver como o GA4 amplia a visão sobre eventos e conversões.

E caso ainda não tenha realizado a migração do seu e-commerce para o GA4, conte com a Corebiz nesse processo. Realizamos todas as configurações e parametrizações necessárias para que você consiga ler e analisar os dados do seu e-commerce.

Escrito por:
Eduardo Pereira, Customer Success & Growth Manager | Global Marketing
at Corebiz

Escrito por:
Igor Souza, Head de CRO
at Corebiz

Rodolfo Alves

Escrito por:
Rodolfo Alves, VP Business Development and Partner
at Corebiz