Google Analytics 4: saiba as principais mudanças

Google Analytics 4: saiba as principais mudanças

Ao criar um negócio online, um dos maiores objetivos é a captação e retenção de novos clientes. Para isso, não basta apenas estar presente em todos os meios digitais ou ter um site e aplicativo bem estruturados. Dito isso, a proposta do Google Analytics 4 (GA4) é justamente a de complementar essa boa estruturação de sites e aplicativos. 

A análise de dados é de grande importância para que os profissionais consigam compreender as reais necessidades de seus usuários. A ideia é criar estratégias de marketing para que passem de visitantes a clientes fidelizados. 

Para isso, há ferramentas que auxiliam os profissionais de marketing digital a mensurar  o engajamento de seu público. Pensando nisso, o Google Analytics lançou sua nova versão, o GA4. Continue a leitura para compreender quais os seus diferenciais! 

Como o Google Analytics evoluiu?

O Google Analytics é uma ferramenta do Google para análise de dados fundamental para negócios online. Desde a sua criação, passou por algumas atualizações até chegar na sua versão mais atual, o Google Analytics 4 (GA4). Os nomes das atualizações são:

  • Urchain Analytics em 2005;
  • Código Analytics em 2007;
  • Universal Analytics em 2013;
  • Analytics 4 em em 2020.

Qual a finalidade dessa nova atualização?

Com o Universal Analytics, as lojas virtuais com webapp teriam que usar plataformas diferentes para analisar seus dados, já que é apenas aplicável em sites. O Google Analytics 4 veio para se adequar a essa nova necessidade dos profissionais. 

O GA4 pode ser utilizado em diferentes dispositivos, sejam eles websites, aplicativos ou site e app. Nele, é possível segmentar informações com base em eventos e personalizar a análise de dados de acordo com as necessidades do negócio.

Além disso, a nova versão é adaptada à Lei Geral de Proteção de Dados. Dessa forma, foram inseridos no GA4 os controles de privacidade, fim dos cookies e uso de uma plataforma mais completa para retenção de dados.

Vale ressaltar que, em 1° de julho de 2023, o GA4 passará a ser padrão na análise de dados. Segundo a Google, a partir desta data, a Universal Analytics não irá mais processar dados e sua migração para a nova versão será necessária. 

Quais as principais mudanças?

Com a diversificação de dispositivos utilizados pelas empresas, as plataformas de análise de dados estão tendo de adaptar-se às novas necessidades do mercado. Para não ficar de fora, o Google Analytics criou a nova versão GA4, bem mais completa e integrativa.  Veja, a seguir, algumas de suas principais mudanças. 

Uso em vários dispositivos

A primeira novidade do GA4 é que, além de ser utilizado apenas em sites (como no caso do UA), também pode ser usado em aplicativos, ou em apps e sites simultaneamente.  Desta forma, garante a integração de vários dispositivos, possibilitando visualizar as informações de maneira agrupada.

Personalização

Com essa integração de informações, o Google Analytics 4 permite ao profissional uma análise personalizada dos dados. Assim, será possível adaptar-se às necessidades do seu negócio e evitar a captação de informações desnecessárias.

Isso acontece porque, com essa nova versão, pode-se escolher quais dados deseja analisar. Assim, coloca-se cada vez mais de lado a utilização de relatórios automáticos, possibilitando uma melhor tomada de decisões.

Lei Geral de Proteção de Dados

A nova versão do Analytics apresenta um alinhamento com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Nela, os usuários terão maior controle sobre o compartilhamento de dados e os profissionais poderão escolher informações específicas para a otimização de seu conteúdo.

Fim dos cookies

Uma das principais mudanças é que, com esse alinhamento à LGPD, o GA4 não guarda as informações de IP dos usuários, os chamados cookies. Esses dados serão adquiridos através da plataforma Machine Learning, que vai gerar automaticamente insights relevantes e completos para seu negócio.

Nesse sentido, a tendência é que o uso de cookies e outros identificadores de IP seja reduzido ou até mesmo extinguido. 

Uso de Machine Learning

O uso de Machine Learning nessa nova versão vem para auxiliar o profissional a realizar previsões baseadas em dados dos diversos dispositivos. Em outras palavras, o ML ajuda a analisar automaticamente insights substanciais de seu site e/ou app para antecipar as ações dos visitantes, como também qual a probabilidade dele tornar-se ou não cliente.

Essa plataforma será fundamental para compreender as necessidades e desejos do seu cliente. Assim, ajudará na realização de ações de marketing estratégicas e assertivas. 

Modelo de dados

O novo Google Analytics terá o diferencial de ser usado em dispositivos diversos, com um modelo de análise de dados baseado em eventos. Ou seja, já que os aplicativos e sites produzem dados diferentes, o GA4 possibilita que algumas ações dos usuários sejam alteradas para eventos.

Desta forma, as visitas à página, interações e transações realizadas pelos usuários serão registradas. Estas podem ser analisadas da forma que se adeque à necessidade da empresa, sendo também possível adicionar outros dados como traços específicos, valores e geolocalização.

Métricas

Conforme dito, a atualização do GA usa um modelo de dados baseado em eventos. Sua métrica é realizada de acordo com cada ação do usuário de forma individual, como engajamento de vídeos no site, clique em links internos ou externos, instalação de app, rolagem de tela, download de arquivos e outras interações.

Essa mensuração das ações permite identificar o engajamento e a retenção de seu público. Para isso foram criadas novas métricas, que são:

  • Sessões engajadas;
  • Sessões engajadas por usuário;
  • Tempo médio de engajamento;
  • Taxa de engajamento.
  • Estrutura da ferramenta

A estrutura da ferramenta também sofreu mudanças. O Google Analytics 4 é dividido em conta, propriedade e fluxo de dados, possibilitando a mensuração de dados em websites, apps IOS e Android ou web app.

Vale ressaltar que, para a utilização do GA4 em aplicativos, faz-se necessário o uso de Firebase. Esta é uma ferramenta do Google exclusiva para organização e análise de apps.

Integração com o Google Ads

Com a integração do Google Analytics 4 ao Google Ads, é possível gerar insights de negócio. A partir daí, consegue-se entender quem é o seu público-alvo, para criar conteúdos mais segmentados e específicos.

Essa integração permite algumas segmentações. Dentre elas,  podemos  citar a  localização dos usuários, dispositivo ao qual estão acessando o site, quais caminhos percorrem até tornar-se clientes, quais eventos de conversão, abandono ou retenção, entre outras análises.

O Google Analytics 4, como vimos, ajuda bastante negócios virtuais a usar a análise de dados para vender mais. A Corebiz possui expertise em implantação e evolução de e-commerce e possui capacidade técnica para configurar corretamente o GA4 no e-commerce, garantindo a maior eficiência possível na gestão dos dados da sua loja. 

Para mais informações sobre as principais mudanças do Google Analytics 4 e como realizar essa migração, entre em contato conosco!

Escrito por:
Igor Souza, Head de CRO
at Corebiz