Maiores desafios do e-commerce em 2022

Maiores desafios do e-commerce em 2022

A melhor maneira de lidar com os desafios do e-commerce em 2022 é conhecê-los de perto. Nesse sentido, é preciso reconhecer também que, depois de um semestre, é possível ter um olhar diferenciado para os obstáculos. 

Isto é, o que a sua loja virtual aprendeu até o momento com os desafios do primeiro semestre? Quais foram mais complexos do que o previsto? O que mudou na percepção de desafios do começo para o meio do ano? Essa análise é fundamental, já que o contexto das vendas pode mudar bastante em meses.

Por exemplo, pense na evolução da vacinação ao longo dos meses e no quanto isso impactou no consumo. Diante disso, no próximo semestre de 2022, os e-commerce se preparam para novos acontecimentos: Copa Mundial, Eleições presidenciais, Natal, Black Friday e muito mais. 

É por esse motivo que você precisa acompanhar de perto os desafios do e-commerce para os próximos meses de 2022. Assim, fica mais fácil lidar com eles. Confira!

Investimento em logística

A cada período, os consumidores se tornam mais exigentes. Parte disso é refletido no senso de urgência para o recebimento dos pedidos efetuados pela internet. Não é à toa que muitas lojas virtuais investem em logística para garantir uma entrega mais rápida. 

É o caso da Rappi, que investiu em estoques e galpões para facilitar a seleção e o empacotamento de produtos de conveniência. Dessa maneira, a empresa se propõe a entregar os pedidos em até 10 minutos. 

A proposta é ousada, mas mostra alinhamento com as necessidades atuais dos consumidores, que almejam entregas rápidas. É por esse motivo que o investimento em logística faz parte dos desafios do e-commerce para 2022. 

Afinal, sem o adequado controle e organização do estoque, o tempo de entrega pode ser insatisfatório. Considere também que a maneira como a logística ocorre facilita a percepção da empresa de quais produtos estão em falta, por exemplo. 

Assim, se houver demanda, é possível providenciá-los rapidamente, sem que o cliente sinta falta de algum item e se frustre com a ausência. Como dito, os consumidores se tornam cada vez mais exigentes. Logo, eles podem trocar uma marca por outra em um piscar de olhos, se elas não o satisfazerem.

Segurança de dados

Outra demanda que deve se tornar ainda mais quente no segundo semestre de 2022 é a segurança de dados. Isso porque, com a intensificação da transformação digital, influenciada pela pandemia da covid-19, houve um aumento nas compras on-line.

Junto com isso, os ataques cibernéticos cresceram 400% em 2020, segundo dados da Apura. A principal explicação é que as empresas precisaram se adaptar rapidamente ao home office e a ampliação da digitalização. Assim, houve dificuldade no adequado investimento de segurança digital.

Contudo, o período de adaptação ficou para trás. Assim, se antes os consumidores não perdoavam a insegurança digital, no segundo semestre de 2022, a exigência será ainda maior. Isso é válido tanto para a probabilidade de o público compartilhar experiências negativas, como também desistir de comprar on-line

Inclusive, pesquisas da Bordeless Commerce Report mostram que a preocupação com a segurança digital é um dos motivos para a resistência em compras por e-commerce. Diante disso, ou você amplia o investimento em segurança de dados, ou tende a perder cada vez mais clientes. 

Parte do investimento envolve usar sistemas antifraudes, ter selo de segurança no site e autenticação em dois fatores. E ainda, é fundamental sempre fazer backup dos dados para evitar que eles sejam perdidos ou roubados. 

Concorrência

A concorrência é sempre um desafio para as empresas, mas no e-commerce isso tende a ser ampliado pela falta de limitação geográfica nas vendas. Além disso, com a popularização das vendas on-line, mais pessoas passaram a investir nesse formato.

Em outras palavras, é como se os consumidores tivessem milhares opções de empresas para comprar o mesmo produto ou serviço. Sendo assim, o desafio é aprender como se destacar no meio da multidão, ainda mais com um público tão exigente. 

Além disso, considere que, em algumas situações você também concorre com conteúdos pessoais. Por exemplo, na loja do Instagram, os usuários acessam publicações da sua marca, dos amigos, da concorrência e de empresas de nichos diferentes do seu.

Diante desse contexto, se diferenciar é a melhor saída para driblar a concorrência e potencializar as vendas no segundo semestre de 2022. Faça isso ao estudar o mercado para entender as estratégias da concorrência e descobrir como é possível se sobressair. 

E ainda, foque em oferecer produtos, serviços e benefícios exclusivos. Assim, esse pode ser um critério usado pelos clientes, caso fiquem em dúvida de qual empresa escolher para adquirir os itens almejados. 

Relacionamento com o consumidor

Ao falar sobre estratégias de diferenciação de uma marca, o investimento no relacionamento com o consumidor se destaca. Isso diz respeito a todas as interações estabelecidas entre a empresa e o cliente, como nas conversas por chat, rede social, e-mail etc.

Por muito tempo, essa relação foi limitada a responder às dúvidas do público nos diversos canais. Contudo, isso já não se aplica às atuais demandas do consumidor. Portanto, é mais do que necessário olhar com atenção para os pontos de contato com o público e garantir  interações genuínas e que correspondam às expectativas desse cliente em relação a sua marca.

Por exemplo, monitore o que as pessoas falam sobre a sua marca nas redes sociais, mesmo que não marquem diretamente o seu perfil. Assim, você pode entrar na conversa para interagir com o público. Essa prática é muito adotada pelo Nubank e Netflix, empresas de destaque quando o assunto é atendimento ao cliente.

Um dos motivos que explicam o sucesso dessas marcas na comunicação com o público é o alinhamento da linguagem. Isto é, ambas são marcas jovens e que se familiarizam com memes, por exemplo. Assim, isso é refletido na comunicação, que representa a voz das empresas.

Então, conseguiu aprender mais sobre os desafios do e-commerce no segundo semestre de 2022? Não esqueça que, diante dos inúmeros acontecimentos ainda previstos, a sua marca terá muitas oportunidades de colocar esses aprendizados em prática. Logo, é importante ter cuidado com a maneira como isso é aplicado.

Quer aproveitar a visita para conferir outros conteúdos que ajudam nas estratégias de e-commerce? Acesse este artigo e descubra como utilizar a experiência omnichannel para impulsionar a sua loja virtual!

Renan Mota

Escrito por:
Eduardo Pereira, co-CEO & Founder
at Corebiz

Serviço de otimização de conversão (CRO)